Quarta-feira, 12 de Agosto de 2020
Telefone: (54) 3383.3400
Whatsapp: (54) 99988.1290
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Chuva
13°
12°C
Espumoso/RS
Chuva
No ar: Show da Manhã
Ao Vivo: Show da Manhã
Geral

Bolsonaro sanciona lei que resgata R$ 1,5 bilhão para assistência social

Bolsonaro sanciona lei que resgata R$ 1,5 bilhão para assistência social
29.07.2020 09h11  /  Postado por: Luzia Camargo

O presidente Jair Bolsonaro sancionou Projeto de Lei que vai destinar R$ 1,5 bilhão para ações de combate ao coronavírus voltadas para a população mais vulnerável, como moradores de rua, por exemplo. O Projeto é da deputada Flávia Arruda, que na terça-feira (28) se reuniu no Palácio do Planalto com o presidente. Ela explicou que o objetivo da proposta é facilitar a liberação de recursos de anos anteriores não utilizados e que normalmente voltam para os cofres do Tesouro. Devido a falta de projetos aprovados ou em andamento, o dinheiro estava parado. A ideia, segundo a deputada, é garantir por exemplo, dinheiro para a compra de cestas básicas, para atender quilombolas, povos indígenas, idosos e reestruturar os centros de assistência social nos estados e municípios.

Ainda na terça-feira, a Caixa Econômica Federal recebeu mais 805 mil pedidos analisados e aprovados para o recebimento do auxílio emergencial. A Dataprev já fez o cruzamento das informações, depois dos requerimentos terem apresentado algum tipo de problema. Os requerimentos foram feitos entre 23 de abril a 19 de julho. Ao todo, ainda existem mais de 900 mil cadastros que apresentam algum tipo de irregularidade e cerca de 120 mil em processamento. Com isso, o número de beneficiários do auxílio emergencial chegou a quase 67 milhões de pessoas. Essa semana, a Caixa Econômica Federal paga a quarta parcela do benefício para 1, 9 milhão de beneficiários do Bolsa Família. Na semana passada, o presidente da Caixa Pedro Guimarães explicou que o pente fino passado no cadastro encontrou centenas de milhares de contas com irregularidades e que acabaram sendo bloqueadas. Muitas delas, com indícios graves de fraude.

Fonte: Jovem Pan

Foto: Isac Nóbrega/PR

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.