Terça-feira, 28 de Março de 2023
Telefone: (54) 3383.3400
Whatsapp: (54) 99988.1290
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo limpo
32°
14°
15°C
Espumoso/RS
Tempo limpo
No ar: Giro da Notícia
Ao Vivo: Giro da Notícia
Especiais

China volta a enfrentar surto de peste suína

China volta a enfrentar surto de peste suína
Granja de suínos, Suinocultura, porcos,suínos
17.03.2023 10h42  /  Postado por: Mirele Caldas

Várias regiões da China enfrentam surtos de peste suína africana, que pode atingir até 100% de mortalidade entre os animais e que, entre 2018 e 2019, devastou a produção de carne do país.

Dezoito das 31 regiões administrativas chinesas registraram recentemente novos casos da doença, especialmente Liaoning (Nordeste), Shandong (Leste), Hebei (Norte) e Shanxi (Norte), segundo o portal de notícias local Sohu.

Para a Organização Mundial da Saúde Animal, não existe atualmente vacina eficaz contra a peste suína africana. O Sohu informou que a China está desenvolvendo um tipo de vacina que, no entanto, não estará disponível antes do fim do ano.

A peste suína africana é doença hemorrágica, altamente contagiosa, que pode matar porcos e javalis nos primeiros dez dias após contraírem a infecção.

Diferentes estimativas indicam que o país perdeu mais de 130 milhões de porcos na primeira onda da doença.

Isso teve efeitos inflacionários em nível global, já que a China é o país que mais consome carne de porco. As interrupções nas cadeias de fornecimento doméstico implicam a reorganização dos mercados de proteínas globais e aumento dos preços.

Durante a onda de 2018 e 2019, as autoridades chinesas autorizaram os matadouros portugueses Maporal, ICM Pork e Montalva a exportar para o país. O acesso ao maior mercado do mundo foi visto pelos produtores portugueses como o “mais importante” acontecimento para a suinocultura nacional “nos últimos 40 anos”.

Estimativas da Bloomberg sugerem que a China perdeu quase metade dos seus porcos durante o último surto, em larga escala, da doença, que é inofensiva para humanos e outros animais. Analistas citados pela agência preveem que o atual surto pode fazer com que o país asiático perca entre 8% e 15% de sua produção de carne suína.

Fonte – 20 – RTP
Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.
Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
CONCORDO