Terça-feira, 07 de Dezembro de 2021
Telefone: (54) 3383.3400
Whatsapp: (54) 99988.1290
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
C
Espumoso/RS
Ao Vivo:
Bom Dia Líder

Prefeito de Jacuizinho diz que município e outras cidades tem respaldo da lei para não voltarem a ser distritos

Prefeito de Jacuizinho diz que município e outras cidades tem respaldo da lei para não voltarem a ser distritos
15.09.2021 06h52  /  Postado por: Roger Nicolini

O STF, por unanimidade, julgou procedente o pedido formulado na ação direta e declarou: (i) a inconstitucionalidade da Lei Complementar nº 13.587/2010; e (ii) e a não recepção das Leis Complementares nº 10.790/1996, 9.089/1990 e 9.070/1990, todas do Estado do Rio Grande do Sul, nos termos do voto do Relator. Foi fixada a seguinte tese de julgamento: “É inconstitucional lei estadual que permita a criação, incorporação, fusão e desmembramento de municípios sem a edição prévia das leis federais previstas no art. 18, § 4º, da CF/1988, com redação dada pela Emenda Constitucional nº 15/1996”. Plenário, Sessão Virtual de 27.8.2021 a 3.9.2021. Nesta quarta-feira (15/9), às 14h, de forma presencial  , na sede da Famurs, Jacuizinho e outras 29 cidades atingidas por esta decisão foram convocadas pelo presidente da entidade .

Os municípios convocados são: Aceguá, Almirante Tamandaré do Sul, Arroio do Padre, Boa Vista do Cadeado, Boa Vista do Incra, Bozano, Canudos do Vale, Capão Bonito do Sul, Capão do Cipó, Coqueiro Baixo, Coronel Pilar, Cruzaltense, Forquetinha, Itati, Jacuizinho, Lagoa Bonita do Sul, Mato Queimado, Novo Xingu, Paulo Bento, Pedras Altas, Pinhal da Serra, Pinto Bandeira, Quatro Irmãos, Rolador, Santa Cecília do Sul, Santa Margarida do Sul, São José do Sul, São Pedro das Missões, Tio Hugo e Westfália.

O prefeito de Jacuizinho, Diniz Fernandes diz estar tranquilo pois uma série de leis embasa a criação do município e das demais cidades.

O encontro irá acontecer após julgamento da ADI e publicação da decisão unânime do STF na última quarta-feira (8/9). O processo contesta uma série de leis estaduais que permitiram a criação de municípios ainda em 1996. Conforma a ação, esses critérios não estariam embasados, como prevê a Constituição, em um regramento federal. Acatando esse entendimento, o STF considerou inconstitucional a Lei Complementar nº 13.587/2010 e não considerou as leis complementares 10.790/1996, 9.089/1990 e 9.070/1990 que permitiam a emancipação de diversos municípios gaúchos.

Em nota informativa, a Famurs esclareceu na última sexta-feira (10/9) que “a decisão se dá em processo de análise abstrata, ou seja, não se refere a nenhum município especificamente, mas de regra geral para criação de municípios. Com efeito, não se discutiu na referida ação, concretamente, a extinção de determinado município ou mesmo o alcance da EC 57/2008.”

Segundo o coordenador-geral da entidade, Salmo Dias de Oliveira, o artigo 96 da Emenda Constitucional 57/2008 resolveu a questão e trouxe, de forma clara, que os municípios e as leis estaduais são absolutamente constitucionais. “Sendo necessário, nós adotaremos as ferramentas jurídicas adequadas para defender os nossos municípios, mas o nosso entendimento é de que já estamos amparados pela Constituição”, afirmou.

Fonte: ASCOM FAMURS

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.