Terça-feira, 07 de Julho de 2020
Telefone: (54) 3383.3400
Whatsapp: (54) 99988.1290
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Alguns chuviscos
12°
10°
10°C
Espumoso/RS
Alguns chuviscos
Ao Vivo:
Notícias

Secretário de Vigilância deixará cargo nesta segunda (25)

Secretário de Vigilância deixará cargo nesta segunda (25)
24.05.2020 12h45  /  Postado por: adrianolima

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, deixa oficialmente o cargo no Ministério da Saúde nesta segunda-feira, confirmando decisão tomada em 14 de abril, pouco antes da demissão de Luiz Henrique Mandetta do comando da pasta. A pedido do ex-ministro, Oliveira concordou em permanecer na função durante a transição, mas havia acertado com o então ministro Nelson Teich sua saída, logo após as férias, de 4 a 19 de maio. O epidemiologista retornará à função de servidor do Hospital das Forças Armadas, onde é enfermeiro epidemiologista.

Wanderson de Oliveira foi o principal formulador da política de combate ao coronavírus da gestão Mandetta. Ao lado do então ministro, foi responsável pela rotina de acompanhamento da epidemia e pela padronização da orientação a estados, municípios e à população em geral, que ficou documentada nos Boletins Epidemiológicos expedidos pelo ministério. Tornou-se o porta-voz da pasta, ao lado do secretário executivo, João Gabbardo dos Reis, na primeira fase da propagação da doença, assumindo comunicação diária com a população por meio de coletivas de imprensa.

Desde a saída de Mandetta, seu sucessor, Nelson Teich, e agora o interino, general Eduardo Pazuello vem promovendo a substituição de vários servidores do Ministério da Saúde por quadros militares. Já chegam a 15 os representantes das forças armadas em funções diretas e de comando, ao lado de Pazuello. Ainda não há informações sobre quem assumirá a tarefa de Wanderson Oliveira. O atendimento aos jornalistas durante as entrevistas coletivas tem sido feito por Eduardo Macário, diretor do Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças Não-Transmissíveis.

*Correio do Povo

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.