Domingo, 12 de Julho de 2020
Telefone: (54) 3383.3400
Whatsapp: (54) 99988.1290
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempestades isoladas
19°
13°
15°C
Espumoso/RS
Tempestades isoladas
Ao Vivo:
Notícias

Distanciamento social evitará cerca de 300 mortes no RS até fim de abril, aponta estudo

Distanciamento social evitará cerca de 300 mortes no RS até fim de abril, aponta estudo
21.04.2020 07h11  /  Postado por: Roger Nicolini

Desde o começo da implantação das medidas de ação contra a propagação do coronavírus, o governo do Estado tem tomado decisões com base em evidências científicas e análise de dados. Uma dessas projeções foi apresentada, nesta segunda-feira (20/4), pelo governador Eduardo Leite durante a transmissão diária ao vivo.

O estudo, realizado pela Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão, com participação de equipe técnica da Secretaria da Saúde e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), tem como objetivo realizar projeções para a necessidade de leitos, clínicos e de UTI, e para a quantidade de óbitos

A projeção estima que, caso o Estado não tivesse adotado medidas de distanciamento social, o número de óbitos por Covid-19 chegaria a 354 no próximo dia 30 de abril. Com a adoção do isolamento social, esse número cai para 62 óbitos, e percebe-se, assim, a preservação de 292 vidas.

Quanto à procura por leitos hospitalares, o estudo projeta que, com o distanciamento social, uma demanda por leitos de UTI acima da capacidade disponível será registrada a partir do começo de junho. Sem as medidas, no entanto, essa dificuldade já começaria a ser sentida no começo de maio.

O modelo epidemiológico considera a mudança de estado dos indivíduos ao longo do tempo, sendo as principais etapas chamadas de suscetíveis, expostos, infectados e recuperados – cujas iniciais dão nome ao modelo (SEIR).

Para as projeções, o modelo leva em conta características demográficas do Estado, como população e distribuição de idade, além de indicadores do sistema de saúde, como o número de leitos disponíveis (clínicos e de UTI).

Além da taxa de transmissão, que reflete o número médio de casos novos que cada pessoa infectada gera, também são considerados parâmetros epidemiológicos da doença como o tempo de latência, o período infeccioso e a duração da internação hospitalar em leitos clínicos e em leitos de UTI. Os valores utilizados para esses parâmetros foram obtidos por meio de artigos científicos internacionais publicados sobre o tema.

Estima-se que as medidas de mitigação adotadas até o momento tenham chegado a uma redução de contágio de quase 50% no final de março. Para estimar a redução na transmissão, foram utilizados dados de mobilidade obtidos do Google, considerando que 1/3 do contato ocorre nas residências, 1/3 na comunidade e 1/3 nas escolas/trabalho.

Ouça o que disse o governador.

Nas próximas semanas, o estudo será atualizado de acordo com os resultados das coletas da pesquisa coordenada pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), com os dados de óbitos e de internações hospitalares, e com a elaboração de cenários regionalizados para o Rio Grande do Sul.

Aquisição de EPIs

Ainda durante a transmissão ao vivo, Leite também anunciou a conclusão do processo de aquisição de equipamentos de proteção individual (EPIs), com investimento de cerca de R$ 32 milhões.

Além de 2.576 testes rápido para diagnóstico de coronavírus, o Estado comprou máscaras, luvas, álcool 70%, óculos protetores, termômetros clínicos, toucas cirúrgicas, aventais, sapatilhas (propés), macacões, botas de borracha, entre outros. Os materiais foram adquiridos via dispensa de licitação.

Parte dos materiais será designado à Secretaria de Saúde para o estoque regulador e redistribuição de acordo com o que for necessário nas regiões. Uma parte também irá para a Secretaria da Segurança Pública e para outras pastas.

Clique aqui e acesse o documento Projeções de necessidade de leitos e óbitos no RS.

Fonte e foto: Ascom Governo RS

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.