Terça-feira, 17 de Setembro de 2019
Telefone: (54) 3383.3600
Whatsapp: (54) 99988.1290
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Alguns chuviscos
18°
14°
18°C
Espumoso/RS
Alguns chuviscos
No ar: Convidados da Tarde
Ao Vivo: Convidados da Tarde
Geral

Painel discute tendências e cenários do mercado do agronegócio

Painel discute tendências e cenários do mercado do agronegócio
24.08.2019 11h23  /  Postado por: Luzia Camargo

O cenário econômico atual e a relação com o setor agropecuário foi o tema discutido na manhã desta terça-feira, 20 de agosto, da segunda edição do Fórum de Mercados e Tendências, o Agronegócio e o Cooperativismo. O evento, realizado no Hotel Weiand, em Lajeado (RS), foi promovido pela Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado do Rio Grande do Sul (FecoAgro/RS), e apoio do sistema Ocergs-Sescoop/RS. No total, participaram do encontro 90 integrantes de 33 cooperativas agropecuárias.

Na introdução dos trabalhos, o presidente da FecoAgro/RS, Paulo Pires, destacou a importância de debater este assunto frente aos cenários globais atuais. Também presente, o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergílio Perius, falou sobre números relacionados ao cooperativismo no Estado.

Palestrante do dia, o sócio-consultor da MB Agro, Alexandre Mendonça de Barros, apresentou os cenários de mercado, especialmente sobre os impactos da guerra comercial entre Estados Unidos e China e o caso de Peste Suína no país asiático. Para o especialista, estes dois eventos estão abrindo uma mudança muito forte na forma que o mercado agrícola vai se reorganizar. “Se estas duas potências econômicas, por razões que não são agrícolas, não se entenderem, sobrará para nós cumprir parte dessa demanda”, destacou.

Uma das oportunidades relatadas por Mendonça de Barros se dará na questão da proteína animal. Com o problema enfrentado pelos chineses com a Peste Suína, o especialista avaliou que os preços das carnes e lácteos irão subir em 2020, com a estimativa da redução do rebanho do país asiático. “Os números não são oficiais porque não se divulga essa informação nem aos produtores chineses, que não sabem o tamanho do problema”, ressaltou.

O consultor da MB Agro reforçou também que a China tem uma decisão pela frente do que fazer para recompor o rebanho, se vai recuperar integralmente e voltar a ser o maior produtor de carne do mundo, ainda que com todos os riscos sanitários, ou se vai para um plano misto e abrir o mercado.

Fonte: Comunicação FecoAgro/RS

Reportagem: Luzia Camargo

 

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.