Sábado, 04 de Fevereiro de 2023
Telefone: (54) 3383.3400
Whatsapp: (54) 99988.1290
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo nublado
29°
16°
23°C
Espumoso/RS
Tempo nublado
No ar: Informativo STR de Campos Borges
Ao Vivo: Informativo STR de Campos Borges
Notícias

Polícia investiga empresa gaúcha que teria causado prejuízo de RS 1 milhão a clientes em esquema de pirâmide financeira

Polícia investiga empresa gaúcha que teria causado prejuízo de RS 1 milhão a clientes em esquema de pirâmide financeira
25.01.2023 13h31  /  Postado por: Mirele Caldas

A Operação O Dobro ou Nada foi deflagrada na manhã desta terça-feira (24) pela Polícia Civil e pela Polícia Federal (PF), em Cachoeira do Sul, na Região Central. O objetivo é desarticular esquema de pirâmide financeira que teria causado prejuízo total de R$ 1 milhão para as vítimas — ainda não foi informado o número de pessoas lesadas.

Agentes cumpriram quatro mandados de busca e apreensão em Cachoeira do Sul. Conforme a PF, foram apreendidos computadores, celulares, documentos e três veículos. Além disso, também foi executado o bloqueio de valores em contas bancárias.

A investigação começou em dezembro de 2022. A polícia apurou que pessoas ligadas a uma empresa de Cachoeira do Sul ofereceriam oportunidades de investimentos com retorno de 100% do capital aplicado no prazo de três meses. O nome não foi divulgado, mas a reportagem de GZH apurou que trata-se da empresa Connect Money.

Segundo a investigação, a empresa oferecia vantajosos retornos financeiros, entre eles a suposta realização de operações que dariam retorno variável de 80% a 180% do capital investido, de acordo com o prazo de aplicação.

De acordo com as autoridades, a entrada de novos clientes dava suporte para o pagamento dos primeiros investidores, característica de uma pirâmide financeira.

A PF estima que, somente no último semestre de 2022, os investigados tenham movimentado ilicitamente mais de R$ 1 milhão. Parte do dinheiro foi utilizado na aquisição de veículos de alto valor.

Ninguém foi preso na operação.De acordo com a polícia, os investigados poderão ser indiciados pelos crimes de organização criminosa, crime contra o sistema financeiro nacional e estelionato.

O nome da operação, de acordo com a polícia, se deve ao fato de que os investigados ofereciam oportunidades de investimentos com promessa de retorno de 100%, ou seja o dobro do capital aplicado. Mas, segundo a PF, era questão de tempo para que a empresa deixasse de pagar seus clientes, que ficavam sem “nada”.

A reportagem tentou contato com a empresa Connect Money por e-mail e também por telefone, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

GZH

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.
Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
CONCORDO