Segunda-feira, 22 de Abril de 2019
Telefone: (54) 3383.3600
Whatsapp: (54) 99988.1290
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
Tempo nublado
22°
16°
22°C
Espumoso/RS
Tempo nublado
No ar: Convidados da Tarde
Ao Vivo: Convidados da Tarde
Geral

Reeleito no MTG, Nairo Callegaro propõe ampliar participação da mulher gaúcha no tradicionalismo

Reeleito no MTG, Nairo Callegaro propõe ampliar participação da mulher gaúcha no tradicionalismo
14.01.2019 08h32  /  Postado por: Luzia Camargo

Na maior eleição em 52 anos de história do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), o atual presidente, Nairo Callegaro, foi reeleito para mais um mandato à frente da entidade. Com 553 votos, o candidato da chapa Unindo Gerações superou a postulante da chapa De Coração pela Tradição, Elenir Winck, que obteve 453 votos. Foi a primeira vez que uma disputa pelo comando do MTG teve mais de 1 mil votantes.

A eleição ocorreu sábado, em São Borja. Engenheiro civil e natural de Santo Ângelo, Callegaro chega ao quarto mandato consecutivo. Com uma proposta de aproximação do MTG das populações urbanas, ele pretende fazer uma gestão descentralizadora, dando maior autonomia às coordenadorias regionais.

– Não se trata de um projeto pessoal, mas sim de um mandato coletivo. Quero fazer o tradicionalismo cruzar os portões dos CTGs. Não diante sermos herdeiros de Paixão Côrtes e Barbosa Lessa se não fizermos esse conhecimento girar pela sociedade – argumenta.

Callegaro afirma que a própria eleição já demonstrou um engajamento maior da população nas ações do MTG. Até então, o pleito com maior número de eleitores havia sido em 2014, quando 900 pessoas votaram. Desta vez, 1.006 eleitores se dirigiram a São Borja, na Fronteira Oeste, para participar da eleição e da discussão de temas no 67º Congresso Tradicionalista Gaúcho. Para a eleição de 2020, Callegaro sugere promover uma votação regionalizada, nas 30 coordenadorias regionais. Dessa forma, ele espera dobrar o número de votantes.

Nos costumes, o presidente aposta na manutenção das tradições mais arraigadas, como a exigência de bombachas largas na vestimenta dos gaúchos nos CTGs.

– Há coisas que não podemos perder na nossa identidade, nas nossas origens. A bombacha é um traje histórico, não sofre atualização. Todo ambiente social tem regras. Mas isso não quer dizer que estamos parados no tempo. Hoje o gaúcho monta a cavalo com um celular no bolso. Ele não deixou a tradição de lado porque usa aplicativos para facilitar sua vida e seu trabalho.

Embora Elenir Winck tenha sido derrotada na primeira vez que uma mulher concorreu à presidência da entidade, o tema “Mulher Gaúcha _ 70 anos de Inclusão no Tradicionalismo Gaúcho Organizado, suas conquistas e participações” foi o mais votado entre as sete opções de assunto para pautar os debates do MTG em 2019. Segundo Callegaro, a presença feminina nos CTGs irá pautar a gestão, com valorização das mulheres nos postos de comando e nas ações tradicionalistas.

– Não foi uma eleição de uma homem contra uma mulher, foi uma disputa entre propostas. Mas este é um tema da sociedade atual e tem evoluído muito. Temos várias  patroas nos CTGs, nas coordenadorias e nas entidades culturais. Vamos valorizar a participação das mulheres na nossa formação tradicionalista – assegura.

Fonte: Gaúcha ZH

Foto: Sandra Veronese/ Divulgação MTG

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.