Quarta-feira, 19 de Dezembro de 2018
Telefone: (54) 3383.3600
Whatsapp: (54) 99988.1290
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
27°
21°
22°C
Espumoso/RS
Nublado
Ao Vivo:
Polí’tica

Celulares proibidos na Prefeitura de Não-Me-Toque

26.04.2018 22h22  /  Postado por: Roger Nicolini

Através de uma ordem de serviço, o prefeito de Não-Me-Toque, Armando Carlos Roos, passa a proibir que funcionários municipais, durante o período de expediente, utilizem seus celulares particulares. “Fica terminantemente proibida a utilização de celulares particulares pelos servidores, durante o expediente, nas repartições públicas municipais”, diz um dos trechos do comunicado da ordem de serviço.

O documento determina, ainda, que somente poderão ser usados os celulares públicos disponibilizados pela administração para o atendimento de serviços públicos. Além disso, poderá ser utilizado o telefone fixo da repartição para ligações particulares de urgência sem custos para os servidores.

O jornal Diário da Manhã entrou em contato com o prefeito de Não-Me-Toque para saber os motivos da emissão da ordem de serviço. “Qualquer grande empresa proíbe o uso de celulares particulares para manter a ordem no trabalho. A Prefeitura é uma das maiores geradoras de emprego na cidade, ou seja, é uma grande empresa, então pode usar este mecanismo”, afirma Roos.

De acordo com ele, a medida está amparada na lei. “É uma forma de evitar que se interrompa a atividade para manusear o celular. Além disso, a legislação permite que se tome uma medida como essa”, pontua.

Esse também é o entendimento do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Não-Me-Toque (Sindiserm). “Conforme nossa assessoria jurídica, a ordem de serviço está dentro da lei. Então não vamos questionar a medida e cabe a nós acatá-la”, relata o presidente da entidade sindical, Sebastião Gilmar D’Avila.

No começo do mês, vieram à tona denúncias de assédio sexual contra o prefeito de Não-Me-Toque a partir da circulação em redes sociais de um vídeo que mostra um dos supostos casos de assédio. “Não vou falar a respeito disso. Não fui intimado oficialmente de nada”, limitou-se a dizer o prefeito. Conforme a Polícia Civil, Roos é investigado em dois supostos casos de assédio sexual contra servidoras municipais.

(Foto e Notícia: Jornal Diário da Manhã)

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.