Sexta-feira, 30 de Setembro de 2022
Telefone: (54) 3383.3400
Whatsapp: (54) 99988.1290
Curta nossa página no Facebook:
Clique para Ouvir
C
Espumoso/RS
No ar: Convidados da Tarde
Ao Vivo: Convidados da Tarde
Polícia

“Não tivemos tempo de sair da viatura” diz soldado ferido em assalto em Barros Cassal

07.04.2014 10h56  /  Postado por: upside

“Não tivemos tempo de sair da viatura”, esta foi a declaração do policial militar Rildo Sebastião Barbosa (47) um dos oficiais feridos no assalto à agência do Banco do Brasil em Barros Cassal.
O policial informa que ao ser comunicado do assalto, a guarnição da BM deslocou até o local e ao realizar a aproximação, já foram disparados os primeiros tiros. Ele afirma que pode visualizar quatro indivíduos, usando pessoas como escudo humano na saída do banco. Rildo ainda diz que pelas características, os meliantes são experientes e o modo de atuação dos bandidos foi parecido com a atuação do assalto realizado a mesma agência em meados de outubro de 2013.
Rildo e um soldado da militar foram atingidos por balas de fuzil. Ele foi atingido nas costas e o soldado na perna e conforme afirma o militar, os meliantes possuíam diferentes armamentos. O soldado Anderson Tanikado foi atingido primeiro, e o sargento foi alvejado ao sair da viatura para socorrer o colega.
O sargento diz que em 27 anos de carreira, somente no município de Barros Cassal, o mesmo já atendeu no mínimo à cinco assaltos à agências bancárias. 
O assaltado aconteceu na madrugada por volta das 1h15min da madrugada deste domingo (7).Conforme a BM, a quadrilha chegou à agência, na rua Seferino Barbosa, em um Gol vermelho. Com o acionamento dos explosivos, o alarme do banco disparou e alertou os policiais militares. Minutos depois, um sargento e um soldado se deslocaram até o local em uma viatura e foram recebidos a tiros.
O local permanece isolado para perícia e ainda não se sabe qual a quantia que foi roubada. Esta mesma agência já havia sido assaltada em outubro de 2013.Policiais de Santa Cruz do Sul, Venâncio Aires, Sinimbu e região estão à procura dos criminosos.O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) viajou 256 quilômetros de Porto Alegre até a cidade para fazer uma varredura no local.
 

Comente essa notícia
Receba nosso informativo
diretamente em seu e-mail.
Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
CONCORDO